O mercado fecha em:

Quanto ao rebaixamento: está tudo muito estranho…

Primeiramente, gostaria de dizer que não estou aqui como um AntiFluminense. Estou como um amante pelo futebol, que gasta tempo discutindo a tabela e a classificação do Brasileirão com os amigos, lendo notícias sobre as equipes e assistindo aos jogos no fim de semana. E eu, como amante do futebol, resolvi publicar o que estava […]

Postado em: 12 de dezembro de 2013
Atualização: 8 de junho de 2016
Autor:
Tempo de leitura: 4 minutos

Primeiramente, gostaria de dizer que não estou aqui como um AntiFluminense. Estou como um amante pelo futebol, que gasta tempo discutindo a tabela e a classificação do Brasileirão com os amigos, lendo notícias sobre as equipes e assistindo aos jogos no fim de semana. E eu, como amante do futebol, resolvi publicar o que estava discutindo com alguns amigos aqui. Não sou o dono da verdade, e é apenas a minha opinião. Se alguém discordar de alguma coisa, comenta abaixo, pois eu quero acreditar que é mentira. Mas, no momento, não consigo.

“Quando saiu essa polêmcia entre o Fluminense e a Portuguesa, eu até pensei que era capaz da própria Portuguesa ter aceitado receber uma boa quantia em dinheiro para escalar um jogador irregular, ser punida e disputar a B no próximo ano. Até porque o objetivo do time quando joga a Série A é não cair: então por que não aceitar jogar a B com algumas regalias?! Mas agora…


Vamos aos fatos:


  • Dia 25/11 – vaza na midia que o Vasco, Fluminense e Coritiba estavam planejando um tapetão para prejudicar o Criciúma, Portuguesa e Ponte Preta, que teriam contratado mais de 5 jogadores de clubes da Serie A (clique aqui para ver a notícia da ESPN sobre caso). Quem estava liderando esse tapetão era o Coritiba, mas o Fluminense e o Vasco também investigaram até avaliarem que não havia legitimidade na argumentação. De acordo com a notícia do Estadão (clique aqui para ver a notícia completa no Estadão), o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, admitiu que seu clube ficou tentado a atuar nos bastidores para conseguir vantagem no Brasileiro. Mas que logo desistiu do movimento: “já disse isso e repito. O Fluminense não está participando dessa iniciativa. Fomos informados sobre essa possibilidade por terceiros, consultamos um escritório de advocacia e a avaliação foi de que não havia legitimidade na argumentação”. 

  • Ou seja, o Coritiba, Fluminense e Vasco já estavam tentando tirar leite de pedra, e qualquer irregularidade que se confirmasse, eles iriam usar a seu favor para prejudicar os demais clubes. Mas, naquele 25/11, não conseguiram. 


  • E aí, na última terça-feira, 16 dias após a tentativa do tapetão, sai a notícia de que o Fluminense poderia se livrar do rebaixamento pelo fato da Portuguesa ter escalado um jogador suspenso (leia a notícia completa no Globoesporte sobre o caso).  


  • Heverton foi expulso na 36ª rodada contra o Bahia. Não jogou a 37ª. No entanto, o julgamento de Heverton só foi na sexta-feira, 1 dia antes de começar a 38ª rodada. A Portuguesa afirmou que não foi comunicada pelo advogado que Heverton pegou dois jogos de suspensão no julgamento. Já o advogado diz ter comunicado o clube por telefone, e que deve ter havido um ruído na comunicação. 


  • O advogado Osvaldo Sestário é indicado pela CBF normalmente para representar clubes de menor expressão. De acordo com uma notícia do Terra (clique aqui para ler a notícia completa), seu pagamento é abatido automaticamente das cotas que os clubes recebem da CBF.





    Um advogado não faz um comunicado oficial por escrito, diz ter comunicado o clube por telefone e que provavelmente houve uma falha na comunicação.
    Um advogado que representa o clube há 9 ANOS. Vai haver falha na comunicação logo na última rodada?! Logo quando 2 grandes estão pra cair?! Hum…


    Por que a Portuguesa, que não tinha mais risco de cair, escalaria um jogador irregular aos 32 minutos do 2º tempo? Por mera burrice? 

    Está tudo muito estranho. 

    Semana passada, ocorreu um caso semelhante. Contra o Vasco, o Cruzeiro escalou um goleiro que estava supostamente sem contrato (leia a notícia completa na UOL aqui). A pena poderia ser a subtração de três pontos e multa entre R$ 100 e R$ 100 mil. No entanto, o Cruzeiro foi apenas multado em R$ 10 mil, já que “a defesa disse que enviou a documentação normalmente à Federação Mineira de Futebol (FMF), em julho. A entidade, por sua vez, admitiu que pode ter ocorrido um erro técnico nos documentos encaminhados à CBF e que não constava a data do término do vínculo do atleta”. 


    É um caso semelhante, não igual. Escalar jogador sem contrato, na minha visão, é até pior do que escalar jogador suspenso. No entanto, a diferença é que a Federação Mineira admitiu que pode ter ocorrido um erro, enquanto o advogado Osvaldo Sesnário nega que não tenha avisado à Portuguesa. 

    A partida entre a Portuguesa e o Grêmio era praticamente um amistoso. Heverton não teve nenhuma influência, jogou apenas 13 minutos. Vão tirar 4 pontos por isso?! O clube, se for para ser punido, deveria ser multado. 


    Entre o Fluminense e a Portuguesa na Série A, não precisa nem dizer o que é melhor para a CBF. Mais audiência na TV, mais torcedores no estádio, jogador de seleção jogando na 1ª divisão… 

    Me apaixonei pelo esporte que se trata de quem tem os melhores jogadores, e não os melhores advogados. 


    Está tudo muito estranho…”


    Por Felipe Melo
    NOTA: O texto não reflete, necessariamente, o opinião do CartolaFC Mix. 

    Um dos idealizadores do CartolaFC Mix. Soteropolitano, angolano, brasileiro. Louco por futebol e sempre de bom humor, afinal, um dia sem rir é um dia perdido. No cartola, comanda o Oloko Mito.