O mercado fecha em:
Quero ser sócio

Análise do elenco do Vasco

21 de maio de 2013 - Felipe Melo
(Foto: AoVascoTudo)

Time: Vasco

Artilheiro em 2013: Bernardo (7 gols) e Tenório (5 gols).

Homem das bolas paradas: Com Bernardo contundido, provavelmente será Fellipe Bastos.

Segundo as palavras do próprio Paulo Autuori, o time do Vasco ainda está longe de estar pronto. Alguns analistas apontam que antes do fim da Copa das Confederações não veremos o real potencial do time para o Brasileiro. No momento, não há um time titular certo e alguns reforços ainda podem chegar. Diante disso tudo, o desempenho dos jogadores pode oscilar muito: quem joga bem pode não render tudo e alguns mais fracos podem acabar sendo destaques pontuais em algumas partidas.

Goleiros

Michel Alves – goleiro mais experiente do elenco, ainda não convenceu a torcida. Depois de algumas falhas do Alessandro, que vinha sendo titular, seu nome começou a ser pedido pelos torcedores. É um goleiro mediano, e com “síndrome de Fernando Prass”: faz umas defesas incríveis, mas falha em alguns fundamentos.

Alessandro – enquanto era reserva do Prass, a torcida pedia que fosse testado. Quando virou titular, bastou um estadual para ser muito criticado. Ao longo do estadual oscilou entre boas atuações e falhas bisonhas. Apesar de nada estar definido, atualmente parece ser a terceira opção para Paulo Autuori, e inclusive há rumores de que possa sair do clube.

Diogo Silva – o jovem goleiro tem ganhado defensores entre a torcida, mas certamente porque foi o goleiro que menos atuou. Tem potencial e vem sendo escalado como titular por Paulo Autuori. 

Zagueiros

Rodolfo – apesar de ter algum renome e ter ido bem em outros clubes, o retrospecto no Vasco é ruim. Seria dispensado, acabou ficando e se contundiu. Ficará ainda um bom tempo no estaleiro.

Luan – maior esperança da torcida na zaga, Luan é cria da base. Titular da seleção sub-20 que pagou mico no sul-americano, o fracasso com a amarelinha não diminuiu seu prestígio com os vascaínos. Tem habilidade, força e já atuou improvisado na lateral. Como é muito jovem, falta-lhe um pouco mais de experiência, principalmente na posição em que joga.

Renato Silva – não é o pior zagueiro do mundo, mas também está longe de ser o melhor. É meio estabanado, mas joga sério a maioria das vezes. Eventualmente comete pixotadas grotesca, mas na média, apesar da implicância da torcida, não compromete.

Laterais

Elsinho – destaque no Figueirense antes de vir para o Vasco, Elsinho é um lateral direito que prima pela ofensividade. Tem habilidade e cruza relativamente bem, mas deixa a desejar defensivamente. Em algumas partidas costuma sumir.

Nei – experiente, é o homem de confiança de Paulo Autuori no time. Joga na lateral direita, mas tem atuado também na esquerda. Não anda em boa fase: nunca foi dos laterais mais ofensivos e defensivamente também tem deixado a desejar.

Yotún – titular da lateral direita da seleção peruana, foi considerado um dos três melhores da América na sua posição em 2011. Tem qualidade no apoio mas não faz feio defensivamente. Durante a preparação do time, Autuori tem deixado o peruano no banco, mas merece ser titular.

Dieyson – veio da base e já atua entre os profissionais há duas temporadas. Apesar disso, não conseguiu se firmar. Alterna momentos razoáveis e ruins, tanto ofensiva como defensivamente. 

Volantes

Fillipe Soutto – jovem promessa atleticana, veio por empréstimo para o Vasco. Apareceu com destaque no time durante o primeiro turno do estadual, mas perdeu espaço quando o time passou a jogar com dois volantes mais fortes na marcação. Tem habilidade, chega a frente com facilidade, mas precisa melhorar no passe.

Wendel – veterano e polivalente, Wendel é outro dos homens de confiança do Autuori. Mas anda em má fase, e tem errado mais que acertado, seja como volante ou na lateral esquerda. Por conta disso, tem amargado um banco. É bom na marcação, tem visão de jogo, mas é muito nervoso e tem errado passes demais.

Fellipe Bastos – apesar de ser o jogador mais detestado pela torcida, entra treinador, sai treinador e está o Bastos sempre tendo suas chances. Não é tão fraco como apregoa a torcida, mas nunca repetiu suas primeiras atuações no Vasco, no longínquo ano de 2010. Em teoria, é o segundo homem de meio de campo por definição: tem funções defensivas, mas também liberdade para chegar à frente. O problema é que Bastos não marca bem, erra muitos passes e não tem habilidade que baste para armar jogadas. Eventualmente faz seus golzinhos com a sua melhor (e talvez única no momento) qualidade: a força do chute.

Abuda – volante de origem e eventualmente lateral direito, Abuda é firme na marcação e até que acerta alguns lances quando apoia como lateral. Joga sério e, tirando quando tenta arremates de longa distância, não fica de palhaçadinha em campo.

Sandro Silva – o experiente volante tem habilidade e marca bem. Precisa de uma sequência maior de jogos pra render tudo o que pode, mas tem tudo pra ser titular do Autuori. Pode jogar como zagueiro numa emergência.

Armadores

Pedro Ken – começou bem o Estadual, caiu de produção e nunca mais conseguiu ter destaque no time. Tem a desculpa de ter sido escalado como segundo homem do meio, o que definitivamente não é a sua, já que, apesar de ter certa habilidade, não marca tão bem. Mas mesmo quando jogou mais adiantado, não conseguiu render tudo o que se espera dele.

Carlos Alberto – dificilmente jogará esse ano, já que é quase certa uma punição por doping.

Alisson – emprestado junto ao Cruzeiro, fez duas partidas amistosas pelo Vasco e foi relativamente bem em ambas. Tem habilidade para armar jogadas e chega à frente para finalizar. Como ainda é garoto, ainda precisa de um pouco mais de experiência.

Jhon Cley – considerada uma das jóias da base, teve todas as chances possíveis no estadual e não rendeu 10% do esperado. Foi para o banco e não saiu mais dele. Tem habilidade e bom passe, mas ainda precisa mostrar isso entre os profissionais.

Marlone – outro que teve muito destaque na base e que ainda não rendeu o que se espera nos profissionais. Tem habilidade, visão de jogo e não foge das jogadas. Ainda precisa de uma sequência de jogos para mostrar tudo o que sabe.

Bernardo – depois de precisar operar o joelho, deve ficar de molho até pelo menos metade do Brasileiro.

Guilherme Costa – grande promessa da base, é muito habilidoso. Mas por ser ainda muito jovem, deve ser lançado aos poucos pelo treinador.

Fábio Lima – O jovem meia foi muito bem na única partida que fez pelo Vasco, tanto que para evitar uma supervalorização, ficou de fora do amistoso seguinte.

Dakson – Bom finalizador, habilidoso e com visão de jogo, Dakson é no momento o armador mais eficiente do elenco. Deve ser titular caso não chegue um reforço de peso para a posição. 

Atacantes

Éder Luís – em má fase literalmente há anos, Eder Luis ainda é titular por conta de boas atuações esporádicas. Continua veloz e é sempre uma boa opção de jogadas pelos lados do campo, mas erra quase sempre o último passe e quando é a hora de finalizar, manda mal.

Tenório – depois de uma temporada em que passou mais tempo contundido que jogando, o equatoriano parece ter recuperado a forma física e vem jogando com mais frequência. Pode jogar tanto pelos lados do campo como mais centralizado, como referência na área. Finaliza bem, apesar de ser um tanto quanto estabanado.

Edmilson – centroavante típico, depende muito de um meio de campo que o municie para render. Atuando muito tempo no Oriente Médio, ainda deve levar algum tempo até se readaptar ao futebol brazuca.

Thiaguinho – rápido, habilidoso e bom finalizador, o garoto tem tudo para tomar o lugar do Eder Luis se ele continuar dando mole.

André – Acabou de chegar ao clube depois de uma temporada muito fraca no Santos. É muito bom finalizador, mas sem receber boas bolas, some em campo. Parece estar tendo problemas com a balança.

Por Julio Cesar
Blog do Torcedor do Vascohttp://globoesporte.globo.com/rj/torcedor-vasco/platb/
Torcida Cariocahttp://www.torcidacarioca.com.br/vasco/

Felipe Melo

Um dos idealizadores do CartolaFC Mix. Soteropolitano, angolano, brasileiro. Louco por futebol e sempre de bom humor, afinal, um dia sem rir é um dia perdido. No cartola, comanda o Oloko Mito.

Dicas